Menu

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Produtor musical Blener Maycom fala de CD póstumo de Cristiano Araújo

13 MAR 2017
13 de Março de 2017
O produtor musical Blener Maycom começou a trabalhar com Cristiano Araújo na época em que o sertanejo ainda formava a dupla Cristiano e Gabriel, em 2008. Os dois seguiram juntos em estúdio até junho de 2015, quando o cantor, já em carreira solo, morreu em um acidente de carro. Mas a parceria musical não parou por aí. Blener é o responsável pela produção do álbum póstumo do artista, ainda sem data para ser lançado.

As faixas que farão parte do CD começaram a ser gravadas em 2014, após a filmagem do DVD “In The Cities”, último projeto de Cristiano. “Depois do DVD, a gente começou já o trabalho de produção de repertório que fazia constantemente. E quando começamos a fazer repertório, vamos atrás dos compositores, escutamos as músicas, analisamos. Aquelas que gostamos, fazemos arranjos, testamos e gravamos a voz. Quando ele morreu, a gente já tinha mais de dez músicas gravadas, que não estavam finalizadas. E aí fiquei com esse material”,

São esses registros -- gravados inicialmente sem pretensão de integrar nenhum álbum --, que vão integrar o CD. “Estamos buscando dar continuidade no trabalho com a identidade dele, como ele já fazia, mas com algumas novidades, que são tendências de mercado”, explicou Blener, que mantém em Goiânia uma oficina musical. Por lá, ele repassa todo seu conhecimento de mercado, que adquiriu ao longo dos anos com Cristiano, para novos artistas. Além disso, também tem um estúdio, onde já produziu artistas como Nayara Azevedo e o próprio irmão de Cristiano, Felipe Araújo.

Molde?
Questionado se ele usa o “molde” do sertanejo com os novatos, Blener explica. “Da história do Cristiano inteira, o legado que a gente leva hoje é de toda essa dedicação que tivemos de evoluir ele como artista, de melhorar canto, postura de palco... Tudo o que o artista precisa desenvolver para chegar aonde ele chegou. E também levamos o legado dele, da personalidade de dedicação que ele tinha. Era extremamente focado no trabalho. Aprendemos com ele, vivemos com ele, e é o que levo para minha vida inteira. A morte dele deixou uma referência de artista e de pessoa. E da forma que deu certo.”

Uma das músicas que deve estar no álbum é “Lágrimas vão te afogar”, que foi divulgada pelo produtor em 24 de junho de 2016, quando completou um ano da morte do cantor. Blener revelou como foi o dia em que eles iriam registrar essa faixa em estúdio.

“Sempre ele vinha para o estúdio quando voltava de viagem, para a gente gravar as músicas e dar continuidade aos trabalhos. E nesse dia ele estava muito baixo-astral. Chegou, pediu para tomar um copo de uísque e falou: ‘Calma, deixa eu entrar mais no clima’. Pegou um violão para a voz começar a sair e, na segunda música, botei o microfone e comecei a gravar. Ele cantou umas 11 músicas que refletiam o amor terminado. Aí ele falou que não estava bem, que não conseguia gravar. Depois de um tempo, descobri que naquele dia, ele tinha brigado com a (namorada) Alanna (Moraes) e entendi o motivo dele ter escolhido aquele repertório”, relembrou Blener, que pretende soltar a gravação dele em voz e violão registrada naquele dia. Mais uma surpresa para os fãs do sertanejo!

Voltar